De onde vem a Fala Feminina? 

“A fala é o oposto do falo. Ela não se impõe, ela acolhe, não tem preconceitos ou pudores. Ela não aponta, ela circula. Ela fala, mas principalmente escuta. Nesse espaço, buscamos dar voz a todas essas falas contidas (ou exibidas) das mulheres que são as nossas inspirações”, diz Fátima Torri.

A marca Fala Feminina foi lançada na Semana ARP de 2009, evento da Associação Riograndense de Propaganda, como título de uma painel sobre a presença da mulher na comunicação, conduzido pela Fatto Comunicação. Acadêmicos, artistas, publicitários, diversas mentes brilhantes se fizeram presentes no palco e na plateia.

Anos depois, a Fala Feminina ganhou um espaço dedicado no blog da empresa. Ao longo dos anos, a equipe da Fatto conversou com dezenas de clientes, amigas e mulheres inspiradoras, e o projeto ganhou corpo, asas e casa nova.

Bem-vinda à Fala Feminina.